A Ordem da Insensatez

∞ 12.11.2018 - Desistimos  Acho um equívoco nosso de sempre pensar a desistência como uma falta de forças, um cansaço, ou até uma derrota, e só. Porque é isso, mas é mais. Também é mais. Há um quê de novidade em desistir; um deixar de ter o controle; um frescor de todas as possibilidades a…

O vazio do vazio

Há dias como hoje Em que preciso muito pensar Para nenhum sentido encontrar Na comida que engulo Nos relatórios que produzo Em algum momento, sentido algum faz a produção   De sentido nenhum é que se faz produção Então alguém me diz, É que estou em negação E não há nada mais certo que isso…

De Todas as Imensidões; o Mundo

Há aquela expressão, de que gosto muito: “desde que o mundo é mundo”, a ficção maior de que é possível saber de todo o tempo do mundo. A excelência da metáfora. A pretensão de que é possível saber o mundo em sua imensidão e tempo. Imensidão, que se espalha por todo o chão. Que é…

Um Outro Inverno

≈ 24.06.2018 – UM OUTRO INVERNO Há pouco me apercebi de que ao inverno chegou um novo começo. Mas quem consegue dizer que há inverno quando se sente o mormaço dos 28º entrando pela janela, e a pele queimando na breve caminhada até a feira? O único inverno que vi foi no meu café, cada vez…

Outono no Calendário

≈ 20.03.2018 É dado início a mais um outono, mas o verão teima em não ir para o outro lado do globo. Procuro uma brisa de frescor, mas não encontro. Contraditoriamente, os caquis já estão expostos nas ruas, mostrando que controlamos a germinação a despeito do clima. É preciso muita força para trazer o oxigênio…

Fabuloso Remanso

Uma grande cidade, um bairro, uma rua, um crepúsculo. Uma dessas caixas verticalizadas subdivididas em pequenas caixas, tal qual um favo. Dentro desta pequena caixa, uma caixa ainda menor com vista para um jardim, uma rua, e seguintes favos. Dentro desta pequena caixa, alvéolo de gente, duas pessoas respiram. O silêncio é ressonante. Sobre a…

De Solstício à Equinócio

≈ 15.12.2017 Formalmente, ainda estamos na primavera. Mas a brisa quase gelada que entra pela janela de meu quarto e forma uma corrente com o vento que entra pela sala, lembra-me que lá embaixo, no térreo, o chão estará quente. É assim que tem início o verão; nesse paradoxo de vento e calor. Hoje, logo…

Tangerinas

Eu tinha recém feito 5 anos quando minha bisavó, que morava em Moscou, foi nos visitar em Joinville, no sul do país, em momento próximo ao nascimento do meu primeiro irmão, quem eu ansiosamente aguardava. É provável que por isso eu tenha tantas recordações dessa época. A babushka permaneceu conosco durante algum tempo e, dias…

Copacabana 591

Ao que tudo indicava, o dia de hoje seria um tédio só. Uma tristeza existencial.   Em alguma das ruas de Copacabana existe o número 591. Mas não sei qual. Não é na Barata Ribeiro, nem na Nossa Senhora de Copacabana, tampouco na Siqueira Campos. Já estava vinte minutos atrasada para o pneumologista, quando descobri…

Covardia nas Entranhas

Tem vezes que acordamos de um sonho tão real, que parece que estávamos vivendo outra vida no presentear do sono. Noite dessas, Lucas estava na PUC, com uma folha em mãos, onde tinha uma grade horária. E em um desses horários escrito: interpretação literária – instituto de psicologia. Ele se dirigia ao departamento, andando por…