A Imensidão é Pedra

Sobre pedras. Abaixo de pedras. Crânios convertidos em pedras e muros. A imensidão é pedra! Neste lugar de pedra e savana certifico-me de que o problema de DF não está na secura do ar, mas na contaminação – palavra muito mais adequada que poluição. A imensidão é pedra. À minha direita uma pirâmide dedicada ao…

Escuta cá, escuta aqui; veja só

A gente, ou talvez este seja um pecado só meu, tem mania de não dar a devida importância ou grandiosidade àquilo que está diante de nós. Como se buscássemos um constante extraordinário que acontece, mas que não temos olhos para enxergar. Neste esquisito quarto de um hotel barato em Chiapa de Corzo, que tem o…

O ar na sombra

Naquele entremeio de palavras que só guardam o sentido entre o lusco-fusco e o alvorecer, discutíamos tipos únicos de realidades, que só existem ao toque e à visão. Mas enquanto falávamos livres de qualquer constrangimento conceitual, não me escapava essa realidade constante que não pode ser vista, tampouco tocada, mas que me permite falar em…

Cores sem luz

Hoje mais cedo eu tentava conceber uma imagem de luz, talvez em sua forma pura... ... ou o quê quer que isso seja. Logo eu, que não sei o que seriam cores sem formas, ou tempo sem espaço. Em mim, o tempo é sim acidente do espaço, ainda que páginas e páginas de abstrações numéricas…

Escrevi este texto porque comi um hambúrguer

Acabo de sair do banho e vim atrás de um caderno antigo com capa do Egon Schiele e de título ‘Escritos Matinais 2017/2019’. Pulei 2018, mas o último escrito é de fevereiro de 2018. Por que, eu não sei. Mas talvez porque a cronologia possa ser superada. O texto que queria escrever, o fiz no…

Apatipatéticos

∞ 05.09.2019 – A apatia nos é senhora Há um mês eu tentava justamente entender porque havia parado de escrever. Fui um pouco (ou muito) mais otimista; em um breve suspiro da caneta sobre o papel, entendia que era o amor que a cada dia me reconfigura que tinha me levado as ideias, e que…

Um calor frio

São momentos tórridos, no entanto sinto-me congelada. Eu ando por entre gentes, prédios, postes e parcas árvores. São muitas as gentes, e muito poucas as árvores. A alegria é escassa, o riso desesperado. Por sorte, não há esperança, mas também não há aonde ir. A apatia parece ter feito ligação com as moléculas que respiro.…

Nós, os criadores de parques temáticos

Hoje, pela manhã, calcei meu par de tênis roxo e fui ao aterro, para uma caminhada. Caminhei, caminhei um pouco mais, e depois de 300 metros não pude mais reconhecer onde estava. Havia gente por demais naquelas pistas normalmente tranquilas. Uma multidão vestindo roupas cor de neon, cujos pescoços serviam de cabide para medalhas. Mais…

Sedutores Silêncios

- O silêncio é tão parte do mundo quanto qualquer som. E silêncio não é ausência de som, ou inexistência de comunicação – afinal, alguém lembrou que há a telepatia! O silêncio, entretanto, é uma forma de expressão bastante difícil de interpretar, especialmente quando não temos o sentido da visão à disposição. O mundo é…