Quando o que Vence é a Insensatez

16.10.2018 - Primavera fúnebre É uma primavera que não podemos chamar de primavera, por incongruência uma conceitual; essa coisa tão básica de que carecemos com tanta intensidade. Qualquer conceito foi a partir de então desfeito, principalmente o conceito de que antes de qualquer coisa, é preciso conceituar. É como se todo o esforço humano empregado…

O vazio do vazio

Há dias como hoje Em que preciso muito pensar Para nenhum sentido encontrar Na comida que engulo Nos relatórios que produzo Em algum momento, sentido algum faz a produção   De sentido nenhum é que se faz produção Então alguém me diz, É que estou em negação E não há nada mais certo que isso…

De Todas as Imensidões; o Mundo

Há aquela expressão, de que gosto muito: “desde que o mundo é mundo”. Desde que o mundo é mundo é a ficção maior de que é possível saber de todo o tempo do mundo. A excelência da metáfora. A pretensão de que é possível saber o mundo em sua imensidão e ainda em seu tempo.…

Um Outro Inverno

≈ 24.06.2018 – UM OUTRO INVERNO Há pouco me apercebi de que ao inverno chegou um novo começo. Mas quem consegue dizer que há inverno quando se sente o mormaço dos 28º entrando pela janela, e a pele queimando na breve caminhada até a feira? O único inverno que vi foi no meu café, cada vez…

Outono no Calendário

≈ 20.03.2018 É dado início a mais um outono, mas o verão teima em não ir para o outro lado do globo. Procuro uma brisa de frescor, mas não encontro. Contraditoriamente, os caquis já estão expostos nas ruas, mostrando que controlamos a germinação a despeito do clima. É preciso muita força para trazer o oxigênio…