Conversas. Avarias. Sensibilidades.

Assim, em várias tardes de silencioso lamento buscava eu, na tentativa de algum sentido, compreender que perder uma conversa é não ter mais um interlocutor que nos permita ver ideias próprias, e ideias do outro, e ideias do mundo. Porque como se por um evento de rompimento, a conversa não existisse mais. Poderia dizer que…

A dança do fogo

Sentava em uma das muretas que me permitia a visão do coreto e do conjunto. E pensava sobre essa coisa que pouco sei, de viver em comunidade; sobre formas de se fabricar um mundo e pensar uma vida em que se vive não exatamente junto, em comunhão, mas orquestrada. Um jovem em meio aos velhos.…

Uma Pergunta e, De Repente, Nem Sei Quantas Tomei Hoje

Estava aqui pensando que de alguma forma misteriosamente pré-determinada as perguntas nos colocam em um caminho claro de procura pelas razões de ser de algo ou alguém, no sentido mais leviano que se pode dar à palavra. Por todos os lados escutamos vozes que questionam ‘o que é’, ‘como é’, ‘onde é’ e ‘para que…

De Todas as Imensidões; o Mundo

Há aquela expressão, “desde que o mundo é mundo”, a ficção maior de que é possível saber de todo o tempo do mundo. A excelência da metáfora. A pretensão de que é possível saber o mundo em sua imensidão e tempo. Imensidão, que se espalha por todo o chão. Que é chão e mundo. Em…

O Tempo

Em 1895, antes mesmo da relatividade restrita de Einstein, um escritor britânico chamado Herbert George Wells, biólogo, aluno de T. H. Huxley – o “buldogue de Darwin” e avô de Adouls Huxley –, propôs em um romance o entendimento do tempo enquanto dimensão. Ele dizia que para existir, um objeto necessitaria de duração. - Parece-me…

“O inferno são os outros”

“O inferno são os outros”, disse Sartre uma vez. Ou ao menos a internet disse que Sartre disse. Mas também parece que os Detonautas disseram. No mundo pós-Google é difícil saber quem realmente disse o quê. Meu mundo caiu dia desses que um dos Lindos, aquele que interpreta o Hamlet, me disse que não era…

A Traição: um ensaio de picaretagem filosofal

Estrelando: o traído, o traidor, o coadjuvante consciente e o coadjuvante inconsciente. Contracenando: a informação, a moral e a responsabilidade. Cenário e enredo: a cidade, o cotidiano e a ciranda.   Um amigo sustenta a proposição teórica de que o que nos move é sexo. Eu discordo. Acho que o que nos move é a…

Paganismo, Hóstia e Pecado

Não há muito descobri ser pagã. Ainda não tinha atentado ao real significado de paganismo e, possivelmente, já empreguei a palavra sem nenhum cuidado semântico. Também nunca tive noção muito esclarecida dos significados de fé e religião, apesar de ser uma questão desde fins da primeira infância. No sul do Brasil todos têm uma religião,…

Amor e Solidão

Rilke define o amor como "duas solidões protegendo-se uma à outra”. Tolstoi diz que “o amor começa quando uma pessoa se sente só e termina quando ela deseja estar só”. As ideias até parecem antagônicas, mas, em verdade, são complementares. O amor depende do que você deseja fazer com sua solidão. Uma face da solidão…

Em Negativo

Não sei o que pensar. Não sei o que fazer. Não quero esperar. Não quero saber. Também não quero procurar. Nem tentar entender. Não sei o que sentir. Não tenho palavras a dizer. É um estado constante de: não saber; não sentir; não dizer; não fazer. É viver em negativo. Não sei o que pensar,…