O ar na sombra

Naquele entremeio de palavras que só guardam o sentido entre o lusco-fusco e o alvorecer, discutíamos tipos únicos de realidades, que só existem ao toque e à visão. Mas enquanto falávamos livres de qualquer constrangimento conceitual, não me escapava essa realidade constante que não pode ser vista, tampouco tocada, mas que me permite falar em…

Escrevi este texto porque comi um hambúrguer

Acabo de sair do banho e vim atrás de um caderno antigo com capa do Egon Schiele e de título ‘Escritos Matinais 2017/2019’. Pulei 2018, mas o último escrito é de fevereiro de 2018. Por que, eu não sei. Mas talvez porque a cronologia possa ser superada. O texto que queria escrever, o fiz no…

Apatipatéticos

∞ 05.09.2019 – A apatia nos é senhora Há um mês eu tentava justamente entender porque havia parado de escrever. Fui um pouco (ou muito) mais otimista; em um breve suspiro da caneta sobre o papel, entendia que era o amor que a cada dia me reconfigura que tinha me levado as ideias, e que…

Um calor frio

São momentos tórridos, no entanto sinto-me congelada. Eu ando por entre gentes, prédios, postes e parcas árvores. São muitas as gentes, e muito poucas as árvores. A alegria é escassa, o riso desesperado. Por sorte, não há esperança, mas também não há aonde ir. A apatia parece ter feito ligação com as moléculas que respiro.…

Sedutores Silêncios

- O silêncio é tão parte do mundo quanto qualquer som. E silêncio não é ausência de som, ou inexistência de comunicação – afinal, alguém lembrou que há a telepatia! O silêncio, entretanto, é uma forma de expressão bastante difícil de interpretar, especialmente quando não temos o sentido da visão à disposição. O mundo é…

A dor A dor A dor A dor

. 05.08.2017 Nem sempre é preciso escrever tanto. Às vezes as lembranças são memórias  fabricadas. Fecho os olhos, vou a um lugar que não sei se realmente já fui, ou se o criei. Mas lembro de que minha criação também faz parte da realidade. É tão real quando esta dor em minha garganta, provocada por…

Pois o que passou sem ser passado

. (Ou quais e quando são nossas fronteiras?)   Eram dias de deslocamento. Eu pensava na guerra e nos acasos. E de como a guerra não é nenhum acaso. E na fuga, na verdadeira última razão de fuga: a vida. Eu pensava nisso e no que seria essa outra ou mesma coisa que nos faz…